terça-feira, 25 de dezembro de 2012

os enfeites

Com um ligeiríssimo atraso, aqui está a foto de alguns enfeites que fiz, 30, coisa pouca, sou uma pequena muito prendada. (obrigada pelas dicas Analog!)

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

la vita é bella si, sempre


Giosué: "Não são permitidos judeus nem cães." Porque é que todas as lojas têm estes letreiros pai?

Guido: Ah, esses letreiros "Não são permitidos" são a última moda, no outro dia estava numa loja com o meu amigo canguru, e o letreiro dizia "Não são permitidos cangurus", e eu disse ao meu amigo "Bom, o que é que podemos fazer, não são permitidos cangurus!"

Giosué: E porque é que a nossa livraria não tem um letreiro desses?

Guido: Ah, mas amanhã pomos já um. E não deixamos entrar quem não gostamos. Do que é que não gostas?

Giosué: Aranhas.

Guido: Óptimo. Eu não gosto dos visigodos. Amanhã pomos um letreiro a dizer "Não permitidas aranhas e visigodos"

Não é por acaso,

que Itália é sinónimo de moda. E é um facto que as mulheres italianas cuidam-se muito mais do que as portuguesas. Tive momentos em que me senti uma esfregona andante. Por um lado porque estive mais de uma semana fechada em casa da minha sogra com a minha filha doente, mas também porque em Lisboa eu não "fiz" a mala, limitei-me a atirar coisas lá para dentro, e o resultado foi desastroso...

domingo, 23 de dezembro de 2012

fotos catitas era se eu estivesse de férias no Brasil

Gostava de postar umas fotos catitas, a sério que sim, mas para isso era preciso:
1. Sair de casa
2. Que se visse um palmo á frente do nariz.

sábado, 22 de dezembro de 2012

II. coisas boas de Itália

Isto, com creme de mascarpone (para o tiramisú) da minha sogra.

Santa Lucia

No dia 13 de Dezembro comemora-se o dia de Santa Lucia em Itália. E é ela o "pai natal" das crianças. No dia 24 recebem uma prenda, mas no dia 13 recebem muitas! Normalmente os miudos acordam e levantam-se para encontrarem na sala os brinquedos já desembrulhados, e dispostos ao pé da árvore de natal.
A Sara encontrou uma mota 4x4 (que anda mesmo), um Winnie the pooh gigante, um micro-ondas pequeno, uma máquina de lavar pratos (que faz os vários ciclos), com os seus pratinhos, colheres, copos, etc, um bébé com a sua cadeira de comer, umas pantufinhas, uma quinta da chicco com animais que consoante o botão que se preme falam inglês ou italiano, uma poltrona para ver tv, uma almofadinha do Pooh, cadernos e lápis para colorir.
É óbvio que não posso levar nem metade disto, nem quero, mas vou levar uma ou duas coisas, as outras ficam cá para ela ter sempre com que brincar (embora a avó me tenha dito, podes levar tudo, que da próxima vez compro coisas novas, que estas deixam de ser novidade).
:-)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

I. coisas boas de Itália*

Raoul Bova, actor italiano.

*Só para distrair um bocadinho.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

melhoras

A febre ja passou, e o apetite esta a regressar pouco a pouco. A tosse, essa p... , demora bastante mais tempo a passar. Ainda nao dorme na cama dela, mas tenho fè que de hoje ou amanha nao passa. Sò quer colo, do meu obvio, e tenho momentos que nao sei se ria ou se chore, doi-me as cruzes, doi-me o rins, mas è mesmo assim.
Esta irritada e rabujenta porque esta farta de estar em casa, e acima de tudo farta de estar doente. Amanha vamos leva-la a passear ao centro comercial. Infelizmente a rua nao è uma opçao, por enquanto.
(desculpem la os acentos, ou falta deles, mas este teclado è do estrangeiro)

p.s. ah, eu e o pai jà estamos constipados, como era de prever.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

notícias de Itália

Pois cá estamos.
Sábado, veio um médico a casa para ver se os ouvidos da miúda estavam em condições de voar (médico de clínica geral, de uma assistência de seguro do millenium bcp, estás ver gralha, que apesar dos vouchers ranhosos sempre tem coisas boas). O médico disse que se fosse um voo longo não aconselhava, mas sendo 2h30, enfim, poderia ser complicado ou não, mas podíamos ir).
Resto de sábado e domingo, muita febre, tosse e ranho. Muito colo.
Ainda pensámos adiar a viagem, mas assim de repente não tínhamos os 400 euros necessários para tal. Ok, bora lá.
Domingo, dia da viagem. Aeroporto cheio, mas cheio a rebentar pelas costuras, com as cenas do costume dos africanos com malas abertas a trocarem bagagem, para ver o que passa no controlo (este comentário não é racista, já trabalhei na groundforce, e é mesmo assim, se alguém quiser eu explico melhor).
Miúda eléctrica e hiper activa apesar da constipação e febre, salta e desce de cadeiras, passa debaixo das faixas do check in etc. No avião não teve dores de ouvido, mas foi um senta e sai da cadeira, atira-se para o chão, chora e rabuja, quer passear e não pode, enfim, 2h30 muito intensas. E tínhamos o computador recheado de todos os desenhos animados. Não parou um segundo quieta. É um inferno voar com crianças.
Chegámos bem, mas com o atraso só chegámos a casa por volta da uma da manhã. Ela super cansada, e hiper excitada. E deitá-la? Tá quieto.
Tosse até ás 6 da manhã, dormiu sempre ao colo, meu e do pai. Febre em grande.

Segunda decidimos ir ao pediatra. Fomos a um hospital público aqui em Brescia. Para que conste, os hospitais públicos aqui são iguais aos privados de Portugal.Pelo menos esteticamente.
O Atendimento 5 estrelas. Entrámos com o carro numa garagem dentro do hospital, fomos acompanhados por uma enfermeira à triagem, mediram-lhe a febre 39.1, e passados 10 minutos estávamos a ser atendidos na pediatria.
Antibiótico, supositório para a febre, e soro, muito. Mas não aquelas monodoses pequeninas. Seringa mesmo, para limpar tudo, com a cabeça inclinada para um lado, e depois para o outro. Várias vezes ao dia. E é assim.
Ainda não dorme na cama dela, ora durmo eu no sofá, e ela com o pai na cama, ou ao contrário. Sou contra o co-sleeping, exceptuando casos de doença. Mas lá está, cada um sabe de si.
Espero que amanhã a febre comece a baixar, e ela comece a comer melhor.

Tínha planeado umas férias porreiras, passear com a miúda, namorar, sair para comer uma pizza, enfim. É como o ditado diz o Homem faz planos e Deus ri-se.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"snap out of it! slap!"

(este post é uma auto-chapada mental)
A tua miúda tem tosse, ranho e expectoração, que é uma cena perfeitamente normal. Tu não dormes, também é normal, mãe não dorme, mãe põe-se na posição horizontal, mãe deita-se com um olho aberto e outro fechado, mãe quando muito dormita.
Se continuas assim, no dia em que ela te aparecer ás pintinhas ou tiveres de ires para o hospital dá-te um treco!
Tanta meditação, tanto yoga, tanto livro de auto ajuda e vai tudo pró caneco assim, de repente. Ajuda a tua filha permanecendo calma porra!
E tens a sorte de teres um marido que é o oposto de ti nestas (e noutras) situações.

probabilidades

Quais serão as probabilidades de, digamos, a vossa criança ficar constipada, com imenso ranho, tosse e dores de garganta, a dois dias de voarem de avião?
Temos de certeza de fazer uma visita ás urgências pediátricas neste fim de semana, para saber se podemos ir ou não.
Ou adiamos uns dias? Mas as constipações dos putos demoram umas 2 semanas a passar. Vai só o meu namorado que não passa o natal em casa há mais de 4 anos? E os avós e o tio que não vêm a miúda desde Junho?
E se a miúda desenvolve uma otite, uma barotite, ou se lhe rebenta um tímpano?
Nota-se que estou stressada? Não, Qual quê! F.....

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

winter cleaning

Hoje dei uma limpeza ao Bloglines que nem queiram saber.
É que andava sempre com uma lista tremenda de posts para ler, e ainda por cima posts de blogs que já não me interessavam para nada. Não me levem a mal, eu gosto muito de sapatos e vernizes e roupas, mas não tenho tempo minha gente. E depois os outros, os da verborreia blogosférica. Postam entre 10 a 30 vezes por dia. Dá-me nervos.
Quando criei esta lista, era uma jovem solteira, que passava as noites a ver séries e filmes até as tantas da manhã, a comer haagen dazs de strawberry cheesecake, e a bloggar.  Agora prefiro gelados menos açucarados. Os da Veneziana e os do Nino são os meus preferidos. Adiante.
Fico com menos blogs, mas bons. Voçês sabem quem são. Os do costume, lá está. Blogs com gente dentro.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

desapareceu, tomou chá de sumiço

Morreu o Ravi Shankar, um músico brilhante, responsável (entre outros com certeza) pela divulgação da música indiana no ocidente.  E eu tenho pena, a sério, gosto tanto de música indiana. Mas só não percebo porque é que sempre que morre alguém famoso os jornalistas escolhem a palavra "desaparecer". E hoje no carro, a ouvir a nostalgia ouvi a notícia de que o Ravi Shankar tinha desaparecido, e eu a pensar "mas para onde terá ele ido?".
O que não é de todo descabido.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

eu não sou um robôt!

Estou completamente pitosga, e só á terceira tentativa vejo os números da verificação de comentários. As letras ainda vá, mas os números, é ver-me a franzir o cenho, enquanto aproximo a minha face ao monitor, e carrego na setinha a ver se consigo ver o que me calha na próxima. E na próxima. E na próxima. Safa.
Mas eu não tenho stalkers por isso, não sei o que é precisar disso, vade retro stalkers.

costuras, algumas considerações

Piquei-me várias vezes com a agulha, preciso de um dedal.
Uma máquina de costura tinha dado jeito, se eu soubesse trabalhar com ela.
Os enfeites estão giros a valer (já cá vêm as fotos)
Deu-me um gozo tremendo, e já penso em tudo o que posso fazer em várias alturas festivas durante o ano.
(e quando a minha miúda for maior é que vai ser!)

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

enfeites de natal

Pois que estava mui pobrezita a nossa árvore, depois de retiradas as bolinhas. Pois é Cata, pareciam mesmo rebuçadinhos prontos para desembrulhar e comer.
Mas entretanto atacou-me a febre das costuras, e com as dicas da Analog, fiz uns enfeites de feltro catitas que nem vos digo. Prometo fotos:-)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

olha, nem de propósito (em seguimento do outro post)

Esta vi aqui.


E estas duas últimas tenho quase a certeza de que vi no blog da Lia.

alvorada

Hoje foi às 5h17. Precisamente. Antes de me levantar lá disse os meus palavrões e bufei, para depois entrar calma no quarto da miúda. Peguei-a ao colo, dei-lhe a chucha, o urso e o miau (vá lá que não pediu a kitty e o bébé), e depois tentei deitá-la. Agarrou-se a mim tipo macaco no galho. E eu já com a adrelanina a bombar, a pensar que o despertador do meu namorado toca às 6h15, porra, estou lixada. Os miúdos sentem a nossa a adrenalina, não tenham dúvidas que sentem o nosso sangue a bombar nas veias. Ao fim de 3 tentativas lá consegui. Deitei-me e ela volta a dar sinal passado meia hora. Vai lá o pai. Passados 20 minutos já tenho de ir eu, porque o pai tem de sair. E eu só penso, porra hoje é que me dava jeito ter uma adolescente trombuda cá em casa, daquelas que dorme até ás duas da tarde.
5h17 minha gente, please....
E não querem depois que a gente sofra dos nervos, e que precise de drunfos porra. São quase dois anos com raras noites em que dormi uma noite inteira.
E depois dizem-me, olha estás magra. Não, a sério?

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

xmas fiasco

O nosso entusiasmo a decorar a casa com luzinhas, bonecos de neve, pais natal, rodolfos e flocos de neve foi proporcional à rapidez com a que a minha filha saiu da sala para ir brincar com a sua cozinha, no seu quarto, ignorando por completo toda a magia que nós pensávamos estar a criar.
Mais. No dia a seguir ainda a apanhei em cima do carro dela (que é um hipopótamo) a tirar todas as mini-bolinhas da mini-árvore do ikea, que julgava eu, estarem fora do seu alcance, em cima de uma mini expedit.. E quando lhe disse "Mas o que é que estás aí a fazer? Podes cair e magoar-te, e a mãe disse que não podias mexer na árvore". Ao que ela me respondeu "Humpf strumpffmk". E o que queria isto dizer? Que tinha uma bolinha na boca.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Sr. Júlio

Vivo em Belém  desde 2005 mais ou menos. Ainda voltei para casa da minha mãe durante uns meses, altura em que achei que o meu curso de comunicação não servia para nada (até agora nada me faz crer o contrário), e inscrevi-me no Ispa. O dinheiro não dava para tudo. Ou vivia sozinha, ou tirava outro curso. Descobri pouco depois que mais do que ajudar os outros, queria ajudar-me a mim. Saí do Ispa e comecei uma psicoterapia. Alguns anos mais tarde vivi 6 meses ao pé da praia da Aguda, próximo de Sintra, mas mais coisa menos coisa, vivo em Belém há muito tempo.
E conheço o Sr. Júlio, empregado do café onde vou todos os dias, desde 2005. Sempre falámos de tudo, de  livros, do tempo, das coisas da vida, da minha gravidez que ele "acompanhou", da minha bébé, dos vizinhos, de política, de tudo . E falávamos sobretudo de viagens, das que eu fiz enquanto assistente de bordo, e das que ele fazia todos os anos em Janeiro. Dizia-me ele que gostava de ter sido comissário de bordo. Fazia-me muitas perguntas dos países onde estive, e das diferentes culturas que conheci, sempre muito curioso. E tanto que ele queria ir a Veneza ,"Deve ser tão bonita e romântica, não é menina?", "É linda Sr. Júlio, vai adorar."
Lembro-me com especial ternura de uma vez que ele me pediu se o meu namorado, que é fotógrafo, lhe podia organizar um cd com as fotografias todas do pastor alemão que ele tinha. Claro, sem problema, disse eu. "É que ele morreu na semana passada, e só tinha 6 meses". E os olhos encheram-se de lágrimas. Afastou-se sem conseguir dizer mais nada.
E agora que escrevo isto, luto para conter as lágrimas porque já não via o Sr. Júlio há 3 semanas, e andava a estranhar porque sei que só tem férias em Janeiro, e hoje ao perguntar por ele disseram-me que não está bem, tem leucemia.
O Sr. Júlio tem 55 anos. E eu quero muito acreditar que ele ainda vai conhecer Veneza.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

a ler


A gralha diz que este último é muito bom.

diz que é da idade pá

Já cheguei aquela fase em que preciso de franzir os olhos e afastar a agulha e linha meio metro dos olhos, para enfiar uma na outra.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

my name is...

Nunca fui grande fã do James Bond. Vi alguns filmes do Sean Connery, mas sempre gostei mais do Roger Moore, vá-se lá saber porquê. Mas para mim, a apoteose do 007 foi com o "Licence to Kill" com um dos Bonds menos carismáticos de sempre, oTimothy Dalton, e com a vilã mais enigmática, a Grace Jones. A canção principal do filme foi com toda a certeza uma das razões do meu enamoramento, a saber "View to a Kill" dos Duran Duran. A partir daqui o meu interesse foi esmorecendo até desaparecer por completo.
Eis se não quando aparece o Daniel Craig no Casino Royale (valha-me nossa senhora, aqueles mini-calções azuis). O filme abalou as minhas fundações, as minhas entranhas. A cena inicial de perseguição de Parkour mostrou claramente que o velho Bond estava morto e enterrado. Estavamos perante um novo 007, um Bond que à pergunta do costume "Martini shaken or stirred?" responde "Do I look like a give a damn?". Ouch! E o Daniel Craig é perfeito para o papel. Per-fei-to.
O Quantum of Solace também não me desiludiu. E apesar de tudo acho brilhante terem mantido o genérico da prache com mulheres e armas, e o cano da arma. Touché.
E este Skyfall? Muitíssimo bom.
A começar pelo casting de actores, Albert Finney, Judi Dench (grande, grande), Ralph Fiennes (surprise, surprise), e mais uma personagem tão gira (spoiler, não posso dizer). And the best for last, Javier Bardem. Que vilão! Bom de tão mau. Mas bom. E que interessante a relação entre a M, Bond e este vilão. E a cena entre o Bond e o Javier na sala dos computadores? ....
Gostei tanto, mas tanto, que até ía ver outra vez. São poucos os filmes que me entusiasmam assim, e é bom saber que ainda se fazem.
Venham mais.

p.s. por curiosidade fui pesquisar aqui no blog (benditas etiquetas) qual o último filme que vi no cinema. Foi em Março, O Artista. Em Março. E constato que preciso de cinema como de pão para a boca. Não consigo viver sem ir ao cinema. Quer dizer, conseguir, consigo, mas não é a mesma coisa.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

agradecer ao universo

O facto de termos conseguido comprar bilhetes da TAP para o natal, e não da Easy Jet. Os da TAP foram mais baratos, imagine-se. Assim, de 16 a 26 de Dezembro, estaremos por terras italianas. E a ver se em vez de me enervar com o frio que odeio, com o andar de avião, que odeio também, mais o facto de estar em casa da minha sogra (nada contra se fosse um fim de semana, mas são muitos dias seguidos), dizia eu, a ver se aproveito para ir jantar fora com o meu jovem, brincar com a minha miúda, e estar com amigos que não vejo há um ano.
De resto é aguentar aquele frio estúpido como o raio e a estupada daquela televisão dobrada, não há pachorra. (cheira-me que vou levar o meu disco com alguns filmitos em original).

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

do fim de semana

Choveu a potes e eu nem aí. Estive de folga no sábado, dia de me time, dei umas voltas, ofereci-me um casaco de inverno, fui ao cinema (postzinho já já a seguir), cheguei a casa e o meu jovem já nos tinha feito o jantar. Domingo miúda super bem disposta, e ainda fiz uma sestinha, daquelas de babar na almofada. Que mais se quer da vida?

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

obrigadinha ó merkel

Para além de tudo o resto, obrigadinha pelo caos no trânsito e pela meia hora parada no carro, a tentar levar a minha filha à avó.  Depois no regresso, ainda tive de choramingar e pedinchar aos senhores agentes que me deixassem descer a calçada da ajuda, para devolver o carro ao meu pai. Obrigadinha porque, depois de estacionado o carro, descobri que não havia um único autocarro ou táxi à vista. Fui a pé umas quantas paragens só para acordar. E obrigadinha porque vou ter de compensar hoje e amanhã ao almoço, os 60 minutos que cheguei atrasasa hoje.
Obrigadinha pá.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

outra coisa

Haverá por aí alguém que tenha ou conheça alguém que queira vender o livro "O Grande livro dos medos e das birras", do Mário Cordeiro?

ó mãeeeeeees!!!!

Têm ideias de pratos para dar à criançada?
Estou um bocado a desesperar. É que depois de na semana passada uma virose me ter posto a miúda a vomitar o almoço, seguido de 2 dias a poucas bolachas e água, agora só come sopa e fruta, não quer comer o prato do meio. Anda bem disposta, brinca e dorme, mas comer bem tá quieto. Sossega coração.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

bimby

Já faz tempo que veio cá a senhora fazer a demonstração, mas ainda não tinha escrito sobre o assunto. Não querendo repetir o post da EIMV também gostei muito da demonstração, a máquina é bestial dá para fazer imensas coisas, mas... faz de facto um xinfrim desgraçado, é caríssima, se a comprasse não saberia onde a meter, e desculpem lá mas bacalhau com natas com batata frita-palha de pacote é batota. Escusado será de dizer que o meu bacalhau com natas pôe o da bimby a um canto.
Se tivesse muito dinheiro comprava-a com certeza. Mas para mim não faz sentido comprar um robot de cozinha de 1000 aérios para não tirar todo o proveito do seu potencial. Eu explico. Para gastar esse desparrame de dinheiro eu tinha de fazer render a máquina, tinha de fazer muitos iogurtes, molhos, pão, bolos, manteigas, patés, sumos, etc.
Mas eu chego a casa todos os dias às 20h. Não tenho mesmo tempo nenhum. E honestamente gastar 1000 euros numa máquina para depois só a pôr a fazer sopas (como acontece a muito boa gente), não me parece bom investimento. É uma panela de pressão demasiado cara.
Assim sendo, decidimos que vamos comprar um robot de cozinha bom, mas mesmo bom, e que nos fica bem mais em conta. Assim posso fazer os meus bolos, sumos e não sei que mais, sem me sentir na obrigação de estar sempre a bimbar.
Mas se alguém me quiser oferecer uma, aí a conversa é outra, evidentemente.

:-(

Ontem vieram duas bruxinhas bater-me a porta, e eu não tinha nem um rebuçado para lhes dar.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

visto

Está bem, engraçado.
 


Gostei muito, mas quiça derivado da bronquite e de noites mal dormidas ou das enormes expectativas que tinha, não passou disso. Gostei muito, mas foi só isso. E não me livrei da sensação "onde é que eu já vi isto".

sábado, 6 de outubro de 2012

quem cospe para o ar...

eu sei que o título não é dos mais agradáveis, mas o que querem, foi o que me veio à cabeça. É que depois do post anterior, decidi ir ao médico, a ver se me passava esta tosse que me deixava de lágrimas nos olhos, e um estado de prostração tremendo. Vai-se a ver e toma lá uma bronquite "derivada" do maravilhoso sistema de ar condicionado da empresa. Dois dias de baixa, que me vão sair muito caros, mas a saúde está primeiro já se sabe. De maneiras que é isto, estou bem e a antibiótico, e a ver se segunda vou trabalhar. A ver.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

a mãe é a última a cair (se cair)

O meu jovem vai para a segunda semana de tosse a algum mal estar geral, que não é bem gripe, mas também não é constipação. A miúda ficou constipada este fim de semana. Ranho que nunca mais acabava, e toda a gente sabe que é complicado ter muitas secreções nasais quando não nos sabemos assoar.  (estou fartinha deste tempo em que é inverno de manhã e à noite, e verão à hora do almoço, enfim, decidam-se caramba) No domingo lá apareceu uma febre malandra à minha filha, que felizmente já passou.
Entretanto eu nestas duas últimas noites levantei-me umas 20 vezes à noite, porque ela ficava aflita por não conseguir respirar. Provavelmente exagero, terão sido umas 15. Enfim, hoje capitulei e estou com o nariz entupido e exausta. Nada que não vá ao sítio com paracetamol, se me sentir febril, pastilhas para a garganta e muito soro fisiológico.
E podem-me dizer porque raio me tiraram a fotografia para o cartão de identificação da empresa hoje, logo hoje? Com duas noites mal dormidas no lombo, ranhosa e cansada? safa.

(para o caso de alguém poder questionar a igualdade parental do levantar à noite cá em casa, esclareço já que quem trabalha ao fim de semana,como foi o caso do meu jovem, tem isenção)

sábado, 29 de setembro de 2012

tarefa hercúlea,

e por demais difícil. Escolher fotografias para fazer um álbum para a minha miúda... quando acabar a selecção, logo digo quantas são, e depois dizem-me se acham muito...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

top of the pops

É esta que vos escreve.
Hoje o meu supervisor (que é um puto holandês muito fixe, de 24 anos) anunciou à equipa que eu fui nomeada a funcionária revelação. Só vos digo que voavam palavras como "qualidade", "empatia" "profissionalismo" e outras que tais. E eu gostei.
Gostei porque faço um trabalho que é desmotivante, aborrecido, monótono e repetitivo, e que fica muito aquém das minhas capacidades e habilitações. Mas apesar de tudo faço-o bem, e procuro dar sempre o meu melhor. E não há aqui nenhuma arrogância, há sim muito egoísmo, do bom, entenda-se. Não o faço pela empresa, faço-o por mim.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

acordar para a vida, ou não pensar só em fraldas

Não tenho tempo para nada, é um facto, um lugar comum que todas as mães conhecem de ginjeira. Não vejo televisão desde que a minha filha nasceu. Não estou a exagerar, porque o pouco que vejo, foi previamente gravado na box, o que dificilmente pode ser considerado televisão. E não sinto falta nenhuma. Jornais, leio as gordas na internet.
No entanto, neste mês de Setembro que tantas coisas importantes aconteceram no nosso país, senti-me alheada, desligada da vida, sempre com aquela desculpa de tenho mais do que fazer. Eu que sempre fiz questão de votar, que acho que quem não vota não tem sequer direito a refilar (a não ser que vote em branco ou nulo, não querendo aqui discutir a utilidade desses votos), que envio emails, telefono e refilo seja na Junta, na Câmara ou na polícia, chequei á triste conclusão de que não sabia nada sobre o que se estava a passar. E comecei a ler o jornal outra vez. Notícias importantes, outras menos, e os meus colunistas de eleição, a Clara, o Daniel e o Miguel.
E assustei-me. Mas pelo menos sinto-me novamente informada. E sinto-me mais eu outra vez.

domingo, 23 de setembro de 2012

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

de férias,

até dia 9, que eu também sou gente.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

hoje,

feriado em Inglaterra, e portanto feriado para mim também. Vou aproveitar bem o dia para não fazer rigorosamente nada e brincar com a minha miúda.
(o "rigorosamente nada" traduz-se em mudar os lençóis das camas, estender uma máquina, fazer outra, varrer e lavar o chão, fazer uma sopa e mais um prato, e se tiver tempo, pachorra e ovos, que não me parece que tenha, ainda faço um bolo...)

sábado, 25 de agosto de 2012

a ler

E pronto, a Ana C disse-me ""LÊ", assim mesmo em maiúsculas, e de manhã enquanto fui ao ccb para ir passear com a miúda, dei um saltinho à Bertrand e já cá canta.

domingo, 12 de agosto de 2012

livros bons

Mas assim mesmo bons. Há poucos, mas há.
E ao começar a ler o retorno, fiquei a pensar nas boas descobertas literárias que tenho tido a saltitar por esses blogs fora (e está um post no forno acerca disso).
Mas fiquei curiosa e gostava que me sugerissem livros bons, mas daqueles mesmo bons.
Agradecida:-)

sábado, 11 de agosto de 2012

2742

Não ter tempo para vir aos blog resume-se nisto: 2742 posts para ler. Há muita palha, pois há, mas também há blogs que me fazem falta. que chatice.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

a ler

e a gostar muito.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

pediatra com a miúda

Tudo para lá de espectacular, que é como se quer. Peso, desenvolvimento motor, social e psíquico, percentis e tal, e uma pica.Seria a última durante uns anos, não faltasse a segunda dose da prevenar, barata que só ela.
Entretanto a pediatra levanta uma questão que, digamos, me apanhou desprevenida. O desfralde. Já, digo eu? Com 18 meses? Olhe que é verão, é a altura ideal, compre um bacio e comece a brincar aos cócós primeiro, xixi depois.
Eu francamente não estou preparada para isto. E estou em crer que a minha miúda é ainda muito pequena. Não? ...
Ai!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

com ganas

de comprar uma bimby. usa-se mesmo ou é só ao início com o entusiasmo? e para quem tem miúdos dá assim tanto jeito como se diz? contem coisas.

terça-feira, 31 de julho de 2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

quer emagrecer? pergunte-me como.

Comprei um aparelho fixo para arranjar os dentes, que foi uma pechincha. Já usei um em 2000, mas o trabalho não foi bem feito e fiquei com problemas no maxilar, que se foram agravando de ano para ano, atingindo o seu clímax neste ano do senhor de 2012. Nunca me passaria pela cabeça meter-me noutra, mas recebi um email daquele grupo que envia pechinchas para o email do pessoal e pimba, nem pensei mais nisso.
De maneiras que cá estou eu com um sorriso de aço maravilhoso. Ponto positivo, pareço uma miúda (ainda mais). Ponto negativo, nem queiram saber a fominha que passo quando lá vou arranjar o dito cujo. Estou que até me tremem as canetas. Pronto, era isto.

vacances

Andamos à procura de uma casa para passarmos uma semana de férias em Setembro. A crise que vá para a bardamerda, não tiro férias há 4 anos, é de dar em maluquinha. A busca na net faz-se pelo litoral alentejano. O norte, apesar de muito bonito, tem praias com água demasiado fria e violenta para mim, e o algarve, coitado, deixa-o lá estar nas minha memórias de infância.
Casa térrea com jardim para nós e para o cão. De preferência isolada e relativamente próxima da praia. Tenho encontrado casas muito bonitas, mas minadas de armadilhas para um bébé pequeno. Tenho visto outras, mais discretas, as que chamo "casa crochet" (crochet em cima da tv e do sofá, flor de plástico na entrada, azulejos hediondos) que apesar de deixarem muito a desejar esteticamente, a nível de segurança servem muito bem.
A pesquisa continua.

domingo, 8 de julho de 2012

a ler*

Apesar de já não ter pachorra para thrillers que envolvam padres e o vaticano, dei uma oportunidade a este livro e apesar do tema religioso não me interessar particularmente, o do médio oriente já me interessa. E o Daniel, ao contrário da Camilla, de quem não fiquei fã, escreve muito bem.

*e ainda sem paciência para ler livros mais "sérios"

sábado, 30 de junho de 2012

sem título. isto são só os dias a passar, e eu sem tempo para blogar

E por aqui está tudo benzinho graças a deus. O trabalho faz-se tranquilamente. Não tenho de vender nada, passo grande parte da manhã a responder a emails, e à tarde, entre cada chamada, lá envio mais uns emails e faço mais umas coisas burocráticas.
E depois, parece que não, mas fazer assistência a clientes do UK, tem outro charme. Digo-vos já que ouvir "sorry love, not interested anymore", ou "stop ringing me every fucking day" não me chateia nada. Estão lá longe, e eu aqui, e nada disto é pessoal. E depois tenho 3 colegas que não jogam com o baralho todo, e isso ajuda muito nas horas mais monótonoas e aborrecidas. Lamento não poder escrever aqui exemplos, mas o nível de asneiras é para lá de indecente. E nem queiram sabe o que elas me fazem rir.
Apesar do trabalho ser básico sinto-me útil e isso é bom. Há outras coisas más, mas procuro não dar muita importância.
Chego às 20h a casa, o que me dá 30 min, ou no melhor dos casos 1h com a minha filha. Mas normalmente deita-se às 20h45. E depois este horário permite-me uma coisa espetacular, que é às 22h estar a cortar legumes para a sopa, e deixar semi-preparado o jantar do dia seguinte. Sim, a minha vida está uma sopeirice tremenda. Até já faço refogados às 9h30 da manhã se for preciso. oh yeah. lovely.

sábado, 16 de junho de 2012

novidades

Esta semana foi um corropio, com a chegada dos meus sogros de Itália (tantos posts que isto dava, tivesse eu tempo), e com duas entrevistas e subsequente início de um novo trabalho. Não é de todo o que eu queria, mas a vida é mesmo assim. Faço assistência a clientes e chego a casa às 20h. A minha filha deitava-se às 20h30, já estiquei até às 21h, mas já dá para imaginar o tempo disponível que tenho para ela, e para fazer todas as outras merdas que se tem de fazer em casa. E nem vale a pena falar da conjuntura económica, já nem tenho pachorra. O facto é que tenho de trabalhar, por muito (e nem vos digo quanto) que me custe estar pouquíssimo tempo com a minha filha. Espero que isto seja temporário.
De resto, no trabalho não há acesso a blogs nem face, assim sendo, com muita pena minha, a minha actividade por aqui vai diminuir consideravelmente. E o que tenho a dizer de tudo isto é foda-se que sinto tanto a falta dela.

a ler

segunda-feira, 4 de junho de 2012

rock & rio

Eu não sou rapariga festivaleira, sou mais de concertos. Mas mesmo assim, gostei do Rock in Rio, muito animado. E o bilhete custou a módica quantia de "muito obrigadinha", cortesia do cunhado. A escolher teria ido ver o Bryan Adams, mas a cavalo dado não se olha o dente. Assim sendo, lá fui com a minha irmã para o best seat da vodafone, com direito a bebidas e sandochas à borla. E uma boa vista dos ecrãs. Sim, porque isto dos festivais é tudo uma questão de ecrãs, e volta e meia ver o artista lá ao fundo, pequenino. Mas cedo nos fartámos daquele ambiente. As tendas/spots, não sei quê vips, têm um defeito. Malta que já morreu e ainda não recebeu a certidão de óbito, ambiente zero. Fomos para o maranhal sentir a energia e dançar. E para mim a grande surpresa da noite foram os Xutos. Grandes! E enquanto o Kalú galvanizava a malta, dei por mim a pensar que não percebo porque raio este pessoal se mete nas drogas. É que cantar para aquela gente toda, deve ser absolutamente do outro mundo.
Quanto ao Bruce sim senhor, grande energia para os seus 63 anos, mas fiquei um bocadinho desiludida. Podia ter cantado músicas mais conhecidas ao longo do concerto, em vez de as deixar para o fim. Mas apesar de tudo gostei. Estou que não me aguento, mas gostei.

sábado, 2 de junho de 2012

lavar a alma


Tão bom, mas mesmo, mesmo tão bom! Maravilhoso.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

assim de fugida,

ontem apanhei uma multa de estacionamento, que já deitei fora (agora não me apetece pensar nisso), fui a uma entrevista para um emprego merdoso, fui a carcavelos dar um mergulho no mar e bateram-me no carro numa rotunda (aparentemente é difícil peceber que quem está na faixa interior não pode sair quando lhe apetece, enfim).

quarta-feira, 30 de maio de 2012

aguenta coração

Estou numa excitação que nem me aguento. No domingo vou ver o The Boss. Ora eu, que saio de 6 em 6 meses para ir comer uma pizza, cinema já nem me lembro, festivais então o melhor é nem dizer, estou que pareço uma pita. Juro. E é tudo junto, é a festa, a companhia, a rebaldaria, o poder ir cantar isto, e isto e isto. E eu nunca fui fã número 1 do Bruce, mas sempre gostei. Marcou uma geração, quanto mais não fosse por pôr meio mundo, boys and girls, a usar as famosas 501.
Agora com licença que tenho de ir estudar umas letras.

domingo, 27 de maio de 2012

vamos lá falar sobre o kevin

Ora aqui está um filme que me perturbou muitíssimo. Ainda sinto uma ligeira arritmia.
Uma mãe que não teve uma gravidez daquelas que se vendem nas revistas. Ai que bom isto vai ser um espectáculo e eu vou ser uma mãe fantástica. Muitas dúvidas e medos. Que não desapareceram após o nascimento do bébé. Uma depressão pós parto terá ajudado a coisa? Talvez. Um bébé que não pára de chorar e não dorme, é já o suficiente para mandar qualquer pessoa para o manicómio. E a ligação bébé-mãe, absolutamente inexistente ao início (o que é normal, apesar de assustar), custa a desenvolver-se. Ora se isto se passa com quase todas as mulheres, embora muitas mintam porque fica mal, o problema aqui foi agravado porque de facto o puto, desde muito cedo começou a mostrar traços de personalidade no mínimo inquietantes, a par de problemas de desenvolvimento. Claro que tinham de falar sobre o Kevin. Mas para o pai "boys will be boys" e a mãe está a exagerar. E a mãe desgraçada, vê tudo, e culpa-se por tudo. Culpa, tanta culpa há neste filme. E quem é mãe sabe bem o que é a culpa. E afinal de quem é a culpa? Pouco importa. Aliás, acho que a tónica do filme nem é essa. Os psicopatas e assassínos têm todos mães. Provavelmente se os dois tivessem tido uma relação mais serena e cúmplice, a coisa não tivesse acontecido aos 15 anos dele. Mas acontecia aos 30.
E não achei o filme nada redutor, nem pejado de clichés. Achei sim muto profundo e perturbante. E bom, muito bom.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

humor de cão

Ora aí está uma expressão incorrecta. Os cães estão sempre de bom humor, ao contrário da minha pessoa. Terá a ver com o facto de hoje ser o meu último dia de trabalho? Também não ajudou a miúda embirrar que queria brincar com o biberon cheio de leite (porque tem um coelhinho e um cavalinho) eu não deixei, birra, leite pela pia abaixo acompanhado de um f#$%&-se sussurrado. Miúda em jejum até casa da avó. Isto também não ajudou não.

hsm

Esta semana voltei ao hospital onde tive a minha filha, para uma consulta de dermatologia, e juro que senti suores frios a lembrar-me das contracções e dos 3 dias que lá passei e das 3 noites que não dormi nada. Adiante. Como toda a gente sabe, o hsm é um hospital universitário, por isso, calha muitas vezes haver estudantes a assistir a uma consulta. (um dos "toques" que me fizeram antes do parto, tinha sensivelmente 6 estudantes a olharem para as minhas vergonhas)
Na dita consulta estavam 4 estudantes, e por sorte não tive de tirar as calças (péssimo dia para levar umas cuecas transparentes vermelhas), fiquei só de soutien, enquanto o médico fazia perguntas sobre os sinais. Nada a declarar.
Lá falámos sobre os malefícios do sol (também falámos do Hollande, mas não vem ao caso) e recebi louvados elogios à minha cútis. "Podem ver o que faz usar protecção solar elevada", "Nem parece que tem 37 anos", keep up the good work.
Fiquei toda contente e fui logo contar tudo ao meu jovem que  não percebe porque me protejo tanto, e diz que saio da praia mais pálida do que quando cheguei.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

policialzinho requisitado,

e a caminho de uma biblioteca longínqua. Obrigada pelas vossas dicas.

gororoba gostosa

Ontem fiz uma mistela para lá de boa. Não deveria sequer escrevê-la aqui, pois será certamente considerada uma receita menor, sem categoria para constar dos anais da culinária (foto então nem pensar). Mas soube-me pela vida, ora aqui vai:
Arroz (frio) com azeitonas recheadas, mozzarella, delícias do mar, ervilhas, milho e ovo cozido. Botar maionese por cima e já está.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

coisas que me exasperam

Uma pessoa, antes de começar a ler as ofertas de trabalho tem de tomar um calmante.
Mas quando é que aprendem que  "comercial" não é a mesma coisa que "técnico de marketing/comunicação/relações públicas/asssessor de comunicação"?
São burros, irra!

com um olho no burro e outro no cigano

Este sábado fomos a uma festinha de aniversário de uma menina de 3 anos. Estavam lá mais meninos, e muitos adultos, uma cadela e dois gatos. Fez bom tempo e estivémos sempre no jardim, o que foi bom. A minha miúda não passou cartão a ninguém, é muito autónoma e independente, e ainda não está na idade de brincar com os outros meninos. Brincou muito, principalmente com o Puré, o gato. Passou o tempo todo atrás dele, ou a brincar com a terra (comeu alguma) ou com as pedrinhas do jardim.
Nós passámos o tempo todo de olho nela, porque ou andava sozinha em direcção ao portão, ou ía para a horta ou para o barracão (onde não estava ninguém). Sozinha, destemida e sem medo.
Se por um lado admiro esta sua maneira de ser, também há o reverso da medalha... que é o facto de não ter um segundo de sossego e de não ter tido uma conversa de jeito. Ah!
Quase me esquecia, as birras voltaram em força. Senta-se no chão e fica a chorar irritada. Dependendo da gravidade do que fez ou da situação, normalmente deixo-a sozinha a chorar. E sem público, como diz o Dr. Mário Cordeiro, a birra passa num instante.
(já sei que livro vou oferecer a mim própria nos meus anos, aquele das birras...)

sexta-feira, 18 de maio de 2012

...

Se antes já não tinha nada para fazer, agora então que vou entrar na minha última semana de trabalho... Estou seriamente a considerar a hipótese de ressuscitar temporáriamente a minha quinta, largada aos pardais e outras bichezas.

gosto, pronto.


O Tom é um jovem que suscita uma grande polémica. Ou porque deixa a filha andar de saltos altos e vestir o que quer, ou porque é seguidor da cientologia, ou porque salta no sofá da Oprah, ou porque simplesmente irrita.
Pois a mim não. Devo dizer que gosto do Tom. Não que seja um actor fabuloso, mas lá que é trabalhador é. Gosto da Missão Impossível, do Magnolia, do Rain Man, a personagem do Tempestade Tropical (ahah!), a Guerra dos Mundos, A Cor do Dinheiro com o Paul, Colateral, e Uma questão de honra com o Jack.
E ao ver esta photoshot, a adolescente que vive em mim fica contente, pois fica. E estas coisas não se explicam, ou talvez sim. Provavelmente tem a ver com uma miúda de 13 anos a ver esta cena. Muito provavelmente.

mais vale tarde...

Finalmente acabei o desafio. Aqui. ufa.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

policial, o filho bastardo da literatura

O policial, coitado, sempre foi um género muito enxovalhado pela literatura. Que não vale nada, não tem conteúdo, sumo, nada no tutano. Pois que se enganam, digo eu. O policial, quando é bom, tem um efeito em mim fabuloso, que é o de me absorver completamente. Não vejo televisão, não falo com ninguém, tenho de acabar o livro o mais rapidamente possível.
Robert Wilson e Stieg Larsson à parte, alguém recomenda alguma coisa? heim?

job hunting

Pois que ontem fui a uma agência de recrutamento, porque me tinham pedido para formalizar a minha inscrição e levar também alguns documentos. Depois de atravessar/assar pela 2ª circular, lá chego bem vermelhinha, nem de blush precisei, ou rouge como dizia a minha avó.
A técnica de recrutamento era daquele tipo de pessoas que não joga com o baralho todo, faltam-lhe ali umas cartas. Estive mais de uma hora a falar com ela. Para além de falar de mim e da minha experiência profissional, falámos da filha dela, da escola da filha dela, do sistema educativo, do tempo, da crise e da vida. E a conversa foi sempre pontuada com interrupções de telefonemas que a senhora atendia, pessoas que entravam e ela falava ao mesmo tempo que eu, enfim. Apesar de tudo era simpática. De tal maneira que disse que tinha um trabalho para mim, que ainda não tinha publicado no site, mas achava que eu era perfeita. "Mas" dizia ela "a triss não tem aqui escrito que tem noções de photoshop." E eu "Pois, é porque de facto não tenho". "Pois" continuava ela "faça o favor de me enviar o seu cv actualizado a dizer que tem noções de photoshop. E brinque com o programa para de facto ter algumas noções ok?"
Ok.
Esta técnica também me ajudou a perceber por A mais B que o meu cv está uma bela de uma trampa. Indo ou não à entrevista da tal empresa, já saí a ganhar.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

pézinhos na relva

alguém me explique

o glamour de campo de ourique? aquela rua principal é tão lúgubre, que pior só a almirante reis. (e a almirante reis tem mais luz)

para miúdos e graúdos

Mas principalmente para miúdos. Esta receita é uma boa alternativa à carne, e é óptima.
Não convém nada enfardar os miúdos com excesso de proteína animal, todos sabemos os malefícios que daí advém, e só por curiosidade aqui fica um facto:
Carne de vaca (por cada 100g) - 20,9g proteínas e 1,4g ferro
Soja (por cada 100g) - 32,8g proteínas e 8,0 g ferro

A soja é boa, baratucha e não sobrecarrega o fígado nem entope as artérias. Ora aqui vai uma belíssima Jardineira de Soja:

2 chávenas de granulado fino de soja (não gosto do granulado grosso, no original da receita)
1 cebola
2 dentes de alho
4/5 tomates maduros ou 2/3 latas de tomate aos pedaços (eu ponho muito tomate porque a soja absorve muito molho)
batatas e ervilhas
Gomásio q.b.

O gomásio é uma mistura de flor de sal +sementes de sésamo (o gomásio é uma excelente forma de temperar a comida com um menor teor de sódio e com o valor proteico das sementes. Também podem juntar sementes de sésamo ao sal grosso lá de casa.)

Ora então.
Demolhar a soja num recipiente com água, deixando-a repousar durante 30 min. (atenção que a soja aumenta muito de tamanho, e o que ao início parece pouco...)
Preparar o refogado com a cebola, alhos e azeite e deixar alourar. Adicionar o tomate e deixar apurar cerca de 10/15 minutos. Juntar a soja previamente escorrida e cozinhar em lume brando durante uns 15 minutos.
Acrescentar as batatas cortadas aos cubos e ervilhas (não sei quantidades, faço a olho). Se for necessário adicionar água. Temperar com salsa ou coentros.


nota: dei um entalão às batatas antes de as pôr no wok.

bom apetite!

terça-feira, 15 de maio de 2012

meter a boca no trombone

Fazer ouvir a minha opinião é fundamental. A quem quer que seja, desde membros do governo, cml, fabricantes que maltratam o ambiente e animais, epal, zon, gás, o que for. Calada, é que não fico. E para mim isto é um exercício de cidadania da qual não abdico.
Por exemplo, irritam-me as pessoas que não votam, e ainda por cima se gabam disso. Até podemos nem ter o melhor sistema representativo, mas é o que há, e portanto mais vale usarmos esta ferramenta para nos fazermos ouvir. Votar, enviar um email, telefonar. Se eu votei em determinada pessoa/partido ou contratei uma empresa prestadora de serviços, podem crer que vou exigir que o serviço prestado seja nem mais nem menos aquele pelo qual paguei/votei.
Ao pé de minha casa foi retirado/roubado um espelho refletor, à saída de uma travessa com visibilidade nula, e fundamental para quem não queria ser passado a ferro por um eléctrico. E eu, enquanto não vi o dito cujo reposto, foi emails e telefonemas para a câmara. E querem saber? Em menos de um mês o espelho estava lá. Fui eu? Não sei. Mas imaginem que houve pelo menos mais uma ou duas pessoas a chagar a mona à senhora da câmara?
O mal é pensarmos que somos pequeninos, e que ninguém nos ouve.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

começamos bem

"Manuel Cerveira Pereira, o conquistador de Benguela, é um filho da puta."

in, "A Sul. O Sombreiro", de Pepetela

quem não tem cão caça com gato*

Há uma coisa que eu adoro fazer, que é gastar dinheiro, comprar roupa, acessórios, sapatos e malas (pausa para me rir). Sempre gostei, está-me nas veias, entranhado nas profundezas do meu ser. Podia-me dar para outra coisa, mas não, o que se há-de fazer. No entanto, há muitos anos que não sei o que é comprar o que quer que seja fora de um outlet, ou que não esteja em promoção. E vivo bem com isso. No fundo, é um desafio. Entrar num chinês, pegar numa peça de roupa (100%algodão) ou uns sapatos que não tresandem a borracha, e pensar se visse essa mesma peça numa prateleira da mango, comprava? É uma questão de perspectiva, e é assim que se compram verdadeiras pechinchas,
Sabrinas a 7€, t-shirts a 2€, blazers a 10€, colares a 1€, contem comigo. Mais do que isto é um roubo.
Assim, cortesia de factores externos e da conjuntura económica, é tudo uma questão de nos reinventarmos, e sabermos viver (bem) com aquilo que temos.
E a bem dizer já dizia a minha avó que uma senhora tem de ter sempre o cabelo e sapatos impecáveis. Tudo o resto são acessórios.

*apesar de eu ter cão.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

quarta-feira, 9 de maio de 2012

de maneiras que,

apesar de ainda não me sentir espetacularmente espectacular, tenho mais que fazer, a minha vida não se compadece com momentos muito longos de auto-comiseração e self pity. Assim, hoje foi dia de pediatra com a miúda, e está tudo bem como se quer. Não me peguntem é percentis e essas tretas que não ligo nenhuma. Limpar a casa toda, ir à mercearia comprar o pirú para ela, e mai logo um bocadinho de sol no jardim. E enviar cv's, muitos.
E obrigada pelos vossos comentários.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

post negativo, quem não estiver para isso siga para o próximo blog

Tal como eu esperava, o meu trabalho que em tempos foi full-time, e depois passou a part-time, passará a zero time. Já a partir de Junho. Que porra vou fazer da minha vida? foda-se.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

dois factos absolutamente vitais

Descobri hoje, com 37 anos, duas coisas.
A saber: que a cena inicial do James Bond é o cano de uma arma, e não uma máquina fotográfica, como pensei eu durante anos (e continuo a achar estúpido um cano de uma arma fazer aqueles movimentos, mas ok); e que american beauty é o nome de uma espécie de rosa cultivada nos EUA, que não tem espinhos nem cheiro. Daqui depreendo que a) não é uma rosa e b) aaaaah, ok, faz todo o sentido o filme ter este título.
Pronto, era isto.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

só para contrariar, hoje cá dentro, é verão.

chinelo no pé, descalça na praia, descalça na relva, passeios no campo, calor de fim de tarde, sal na pele, sol, gelados, esplanada, um panachet e batatas fritas, rio ao fim do dia, anoitecer com o céu cor de rosa, vestidos e calções, bikini, chapéu de palha, colares, brincos e pulseiras, praia, mar, salada fresca, mais gelado, som de cigarras, cheiro a verão, guarda sol, som das ondas do mar, sol, peixinho grelhado com batatas cozidas e salada de tomate, t-shirts e sandálias, rabo de cavalo e tranças, areia nos pés, no carro e em casa, melancia, cerejas, ameixas pretas e amarelas, pêssegos, melão, sandochas, sumos de fruta, jardins, monsanto, praias da linha, da costa, de sintra, do alentejo, janelas do carro abertas e vento nos cabelos.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

blue valentine


História de um casal à beira da ruptura. Um desconsolo, é o que vos digo, porque pode acontecer a qualquer casal apaixonado.

terça-feira, 1 de maio de 2012

ainda dizem que o mundo está perdido...

Mais de 1000 italianos invadiram as instalações da Green Hill, empresa que cria beagles para fazer testes. A manifestação começou nas ruas, e ao chegarem às instalações da"fábrica" não pararam e invadiram a propriedade. 20 beagles foram salvos (infelizmente 3 foram apanhados e reconduzidos às gaiolas pela polícia) e 12 pessoas foram presas (entretanto já foram libertados quase todos).
Notícia aqui, seguimento aqui.
E agora se a blogosfera agisse, e escrevesse uns emails à dita empresa, e fizesse uma pausa nos vernizes, roupas e o caneco? Era uma boa não?
Contactos aqui.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

sangue do meu sangue


Lá consegui ver um filme. Em duas vezes, o que prejudicou um bocado o ritmo, mas por vezes faz-se o que se pode e não o que se quer. Deste modo, o filme foi visionado durante a sesta da miúda I e sesta da miúda II. E gostei. Gosto muito de ver cinema em português, não obstante as muitas desilusões que já apanhei, e que não foram poucas. Mas gosto.
Assim, não querendo repetir muitas coisas que a Lia disse e bem, repito algumas. Também eu fiquei curiosa para ver outros filmes do João Canijo, nomeadamente os Sapatos Pretos e o Ganhar a Vida. Neste Sangue do meu Sangue o trabalho dos actores é excepcional. A Rita Blanco, sempre gostei, tanto no registo cómico como no dramático, é uma actriz intensa e muito, muito natural. Fui agradavelmente surpreendida pela Anabela Moreira e pela Cleia Almeida, que como diz a Lia,são  mulheres bonitas no meio de um aparente descuido, e naquele ambiente. O Nuno Lopes, que mais se poderá dizer? Muito bom. Já viram a Alice do Marco Martins? É ver. Uma realidade dura, vidas nada fáceis...

sexta-feira, 27 de abril de 2012

icing on the top

Ah e tal estavas de mau humor por causa do período? Então toma lá um esgoto entupido na casa de banho para pores as coisas em perspectiva.
Ora ontem, a tarde foi agradavelmente passada em casa, a tentar evitar que a miúda fosse chatear o Sr. Valdemar, que estava de rabo para o ar a tentar perceber de onde raio vem aquela água toda. E o aroma de esgoto pela casa? Valham-me as velas aromáticas.
E hoje temos sessão Sr. Valdemar II, porque a coisa não ficou resolvida. De maneiras que a tpm passou para segundo plano, que outras arrelias ocupam a minha mente.
Como é possível que eu tenha vivido tantos anos de solteira naquela casa velha e podre sem nunca ter tido um problema na casa de banho, e... no ano em que fazemos obras, pomos uma sanita e lavatório todos catitas, e decoramos tudo zen, colocamos pavimento flutuante no chão, zumba! Toma lá lençóis de água (não para consumo humano evidentemente).

quinta-feira, 26 de abril de 2012

estou em crer que a tpm piora com a idade

Hoje estou que não posso. Com um humor de merda, sem paciência para nada, farta do inverno, farta do que faço, de não ter um tusto, de me desentender com quem eu gosto. Não sei se foi do feriado, da entrevista de trampa que tive, ou vai-se a ver é só a tpm.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

26. key


25. breakfast

O pão não tem nada, porque ainda não tinha feito a torrada. Kiwizinho para a vitamina C, quando não está duro que nem um calhau, e chá verde. (e um olhar pidão lá atrás, de quem espera uma migalhita, qualquer coisita). Este é o meu primeiro pequeno almoço. Às 10h faço o segundo que saco vazio não fica em pé.

24. an animal


23. moon

(assim que conseguir apanhar a lua, publico a foto)

terça-feira, 24 de abril de 2012

facebook addiction disorder

Sabes que passas demasiado tempo no facebook, quando estás na caixa de comentários de um blogue à procura do like.

pode ser da idade. e vai daí não.

Quando me ligam para ir a uma entrevista, o meu entusiasmo já não é o mesmo. Ando nisto há muitos anos. Não me interpretem mal, vou interessada e com esperança, mas tudo numa onda muito relaxed, muito calma. Tive uma entrevista esta semana, e percebi a 10 minutos passados que a coisa não era para mim. Quando ouço a conversa do "trabalha bem sobre pressão?" ou "eu não tenho vida pessoal, aqui na empresa temos muito trabalho", eu só me apetece dizer "olha filha, ninguém trabalha bem sobre pressão, e quem diz que sim, está a mentir e a candidatar-se a um ataque cardíaco fulminante aos 40, ou um cancro, e depois tu não tens vida pessoal porque és dona do estaminé, e de certeza que ganhas bem mais do que os 650 euros que me propuseste". E tenho dito. Não disse mas faz de conta que sim.
E depois o emprego a que me candidatei devia ter um seguro de saúde incluído, com consultas de psicologia à borla, e acesso a lorenins, sedoxil e serenal, porque depois tinha de começar a tratar da minha depressão por trabalhar num dos subúrbios mais feios e deprimentes de Lisboa.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

15 meses

Vais buscar o teu biberon de água (que eu deixo à tua altura) e dás-me, a dizer "ábua".
Dizes "ai-ai" quando apontas para o fogão e o aquecimento a óleo. Também dizes "ai-ai" quando mexes nalguma coisa que não podes mexer, já sabes que estás a fazer asneira.
Já chegas aos botões da máquina de lavar, mudas os programas e as temperaturas. Também já sabes abrir a porta e tirar/pôr roupa e outras coisas lá dentro.
Quando te levo a casa da avó de manhã, a primeira coisa que dizes é "ki!", e vais buscar a kitty. Depois dizes-me adeus. Já mandas beijinhos (e dás também).
Fazes "vrum-vrum" a brincar com os carros. Adoras o Uki, as músicas do panda e o Gomby.
Tens muitas cócegas. Adoras brincar às escondidas com o pai.
Adoras tomar banho, ficar deitada a relaxar, ou a atirar a bonecada toda para fora da banheira. Não gostas do soro fisiológico.
Dás muitas festinhas (um bocado brutas) ao cão. Às vezes metes-lhe os dedos nos olhos e no nariz e pisas-lhe a cauda. Choras muito quando ele te empurra e cais no chão, ou quando levas "chicotadas" da cauda, e depois quando te explico que ele fez sem querer, porque é trapalhão, ou abana a cauda porque está contente tu olhas para ele, depois para mim, muito atenta, e páras de chorar.
Adoras andar no teu carro, e passear o ursinho no teu carrinho.
Gostas de brincar com as chávenas, mexes o café com a colher, dás-me a provar, bebes também e fazes "ahh".
E eu só penso que apesar de estar tesa que nem um carapau, não trocava o tempo todo que passo contigo por nada deste mundo.
(apesar de continuar a mandar cvs e mais não sei quê)

velha do restelo

Mas porque raio têm de estar sempre a mudar tudo? É o gmail, o timeline, e agora o blogger! Agora ando aqui feita mosca numa pastelaria à procura das cenas. Que chatice.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

spam job

Acabei de receber uma proposta de trabalho, via internet, de uma empresa britânica para a qual enviei o cv há uns tempos. 5h por dia, 9 euros à hora. Muito vantajoso financeiramente, é fazer as continhas. O trabalho consistia em classificar/propôr soluções a vários sites. Li o extenso "Consulting Agreement", o código de conduta, o questionário e mais uma data de papelada, até que cheguei a um documento que rezava o seguinte: "Please be advised that your specific requirements for providing services to the Search team may at times require you to access, download, or otherwise view pornographic or other material"... E depois referem que tipo de pornografia poderia encontrar, incluíndo pornografia infantil.
Escuso de dizer o que fiz ao email, certo? Estou mal disposta.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

hoje deu-me para isto

Andam por aí umas pequenas que fariam melhor em não tirar fotografias do que vestem. Hoje deu-me para isto, amanhã dá-me para aquilo... a sério, documentem outra coisa do vosso quotidiano para que os outros não sintam vergonha alheia.

a minha encomenda




Para quem ainda duvida do ebay. 36 cores a pouco mais de 5 euros, quando aqui, numa retrosaria cada meada custa 1 euro.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

a ler

será possível,

dar-se demasiados beijos aos filhos? Acho que ando a exagerar.
:-)

terça-feira, 17 de abril de 2012

separados à nascença


Para quem não sabe, esta pequena é a Fanny, não a Ardant.

os seriados

Vejo temporadas antigas do CSI Las Vegas, porque ando com problemas em arranjar a 12ª temporada; o CSI NY vê-se, mas não é nada de especial; o CSI Miami nem pensar que me dá uns nervos tremendos o Horatio a falar com as pessoas de costas, ou na diagonal, e sempre de óculos escuros; a Anatomia parece um folhetim cor de rosa, já não há pachorra; o Touch não me cativou, está engraçadito, mas é uma mistela de várias coisas que funcionaram noutras séries; o Criminal Minds deixei de ver quando engravidei, e assim continuo; a Firma, epá, já vi o filme; o Sherlock e o Mentalista não sei onde andam; a ver vamos como será o Missing que estreia esta semana.

queques de iogurte

Deliciosos e super fáceis de fazer. A minha miúda adorou.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

noite de teatro

Sexta feira foi noite de teatro. Já nem me lembro da última vez... Sorvi cada palavra e cada gesto como se fosse a primeira vez que via um espectáculo. Bolas, que bem faz à alma a cultura caramba. Por vezes deixo-me arrastar pela rotina do dia a dia, e desculpo-me com o cansaço, mas não posso deixar passar tanto tempo sem ir ver uma peça. Lá fui com a minha irmã para a quinta do Bando em Palmela, ver um monólogo da Elsa Valentim, encenada pelo Mário Gonzalez, que segundo me conta a minha siss que percebe da coisa, é O Mestre (O Filipe Crawford, o André Gago e o Miguel Seabra baseiam-se na sua cartilha). Para quem não conhece, a Técnica da Máscara baseia-se nas tradições do Teatro Grego e da Commedia dell'Arte, e apoia-se essencialmente no desenvolvimento da técnica de improvisação. Foi a primeira vez que vi um espectáculo com um clown, apesar de já ter visto várias peças com máscaras (do André Gago e do Teatro Meridional). E adorei. Deliciosa esta Carmen, que nos contou a história da Julieta.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

a floribela,

coitada andou a pregar em todas as freguesias que não tinha dinheiro, que andava a passar dificuldades, não havia revista cor de rosa que não falasse do fado triste desta rapariga. Eis se não quando lhe nasce a segunda filha e olha, comprou o berço-bimbo incrustado com cristais pirosos. Eu não devia "ler" estas revistas que sofro dos nervos.

cooking

Uma das razões pelas quais não experimento tantas receitas novas como gostaria, prende-se com os ingredientes. É fácil ser-se inovador e criativo quando se têm os ingredientes mais invulgares, mas na minha modesta opinião é muito mais difícil ser-se criativo com o que se tem em casa. Muitas vezes rebolo os olhos com a precisão e detalhe culinário de algumas receitas. Fermento químico, farinha de trigo T55, amido de milho, please... Queria ver como é que o Jamie se orientava na minha cozinha.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

ainda bem que há mulheres assim,

que não douram a pílula. Não será assim para todas, mas é para a grande maioria. Custa como o caraças, e depois os primeiros 6 meses também não são pêra doce. A partir daí, começa a ser muito mais giro. A partir do 1º aninho, é um espectáculo!

the help

Bem... está engraçado, embora um bocadito longo. Não consegui deixar de me lembrar da Cor Púrpura, esse sim um filmaço, não há kleenex que nos valha. Desafio quem quer que seja a ver a película de Spielberg sem verter uma lágrima, e embora a temática seja diferente, o racismo está lá também, mas não é de maneira nenhuma o mais importante do filme. O mais importante é o amor. De irmãs, de mãe, de amigas. E foi talvez isso que me faltou no The Help. Excepção feita à relação da Minny e da Celia, e da Aibileen e a pequenina Mae Mobley ("you is good, you is kind, you is smart"♥)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

são "só" livros!

Ontem dei uma arrumação aos meus livros. Tirei-os todos da estante, limpei-os um a um e voltei a arrumá-los por nacionalidades/países, que é como eu gosto. Estavam todos desorganizados, porque foram os meus sogros que os arrumaram, quando voltámos a casa depois das obras, e a minha miúda tinha acabado de nascer (por isso eu não estava nem aí).
De um lado arrumei os portugueses (e nunca pensei que tivesse tantos) com os restantes autores lusófonos (africanos e brasileiros), os latinos (Espanha e América Latina), os livros em lígua original, e depois os outros todos. Ainda organizei um cantinho zen/espiritual e outro com banda desenhada. Encontrei a minha "Menina do Mar" da Sophia, que alguém me ofereceu no início dos anos 80, e que achava estar irremediavelmente perdida. Já está no quarto da minha filha.
Ainda choro os 3 caixotes cheios de livros que o meu jovem entregou na biblioteca ao engano. Nessa altura estavamos em mudanças e ele em vez de levar os caixotes de livros para dar, levou os outros. Eu, acabadinha de sair da maternidade, só dei pela coisa quase 2 meses depois, e o que não tem remédio, remediado está. Mas ainda me custa caraças, quando me lembro "ah aquele livro, vou buscá-lo para ver aquela passagem...oh, já não o tenho". Maldita sensação de amputação, valha-me deus, até quando vou chorar os livros perdidos??

segunda-feira, 9 de abril de 2012

eu ♥ ebay

Andava eu cheia de reticências em comprar as meadas para fazer pulseiras (na retrosaria custa 1€ cada meada), acabei de comprar 36 meadas a 8€ no ebay . E embora tenha muita tralha e quinquilharia, encontram-se verdadeiras pechinchas. It's a whole new world.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

dos padecimentos das mulheres, coitadas.

A sério??? O que é se diz disto?
Que pobreza de espírito, que tacanhez, que falta de respeito, de civismo, de.... (é favor continuar).

make it work

O cv morreu. Para mim pelo menos. Não há paciência para ler aquela longa e aborrecida lista de formações e experiências profissionais. Então o modelo europeu, deus meu, quem terá inventado aquela seca. Quando tive de seleccionar uma pessoa, vi uns quantos currículos, e as únicas coisas que me interessavam era a idade, o curso, o último sítio onde trabalhou e gostos pessoais. O resto é palha.
Assim, decidi que não vou enviar mais cv's. Apostei na criatividade e se despertar a curiosidade de alguém, podem telefonar e presencialmente entrego o currículo. Não vou ser mais um cv no meio de milhares, até porque a concorrência é feroz.
Might as well have fun with it.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

cenas domésticas

Este mês lá em casa pifou a torradeira, a máquina de fazer sumos e o mac do meu jovem. De maneiras que lá me fui abastecer à worten dos equipamentos mais baratuchos que para lá havia (menos o mac). Nos entretantos estamos a ponderar dar o tiro de misericórdia na televisão. Para quê pagar quando não vemos? Lá em casa só a miúda é que vê de vez em quando televisão, de resto só vemos programas gravados. E o uki, o ruca e as músicas do panda não há só na televisão. Assim sendo o mais provável é investirmos num disco externo e em mais megas de internet, if you know what i mean.

quinta-feira, 29 de março de 2012

coisas da vida

Há coisas chatas. Não entram na categoria dos problemas, mas sim na categoria das situações desconfortáveis. Aqui no trabalho as coisas não estão melhores, não tenho literalmente nada para fazer. Todos os dias acordo e penso, mas que raio vou eu fazer para o trabalho? Se não fosse pelo dinheiro que me faz muita falta, já me tinha despedido. É que me faz aflição andar aqui a olhar para o monitor, ir buscar dossiers para substituir separadores, passar uma folhas a limpo, ou organizar ad eternum ficheiros no computador.
Continuo à procura de outras coisas, mesmo funções para as quais tenho qualificações a mais. E para essas funções até tenho um Cv da treta, em que não sou licenciada, e trabalhei maioritariamente em lojas e funções administrativas. Sim, já cheguei ao ponto de enviar CV's com mentiras. Vale tudo.
Estou com aquela sensação de que alguma coisa vai mudar, mas não sei bem o quê. Intuição. Possso estar enganada. Espero ansiosamente que alguma coisa mude, para melhor, porque já não aguento não ter nada para fazer.

terça-feira, 27 de março de 2012

quem diria

Que as pulseiras de macramé que eu usava nos anos 80 iam voltar a estar na moda? Lembro-me como se fosse hoje de estender uma toalha junto à passadeira de pedra, da praia onde costumava passar férias, e tentar vender as minhas pulseiras. E conchas também. Nunca percebi porque raio é que nunca vendi uma única concha, mesmo à beira da praia, mas aqui está a prova cabal de que nunca tive jeito para vender nada. Também tentei infrutiferamente vender a minha preciosa colecção de latas de refrigerantes, em plena Av. Roma, na rua. Nem uma latinha vendi.
Considerações comerciais à parte, esta semana pus-me a fazer essas pulseiras, e é como andar de bicicleta, nunca se esquece. Agora tomei-lhe o vício e distraio-me de vez em quando. Podia-me ter dado para o crochet ou para o ponto cruz, mas deu-me para isto.

segunda-feira, 26 de março de 2012

...

Andam-me a sair os tiros todos ao lado. Não acerto uma em termos de escolhas de filmes. Mais um para engrossar as fileiras dos filmes "don't know what the fuss is all about". Mas gostei muito do miúdo.

sábado, 24 de março de 2012

sexta-feira, 23 de março de 2012

nostalgia

O rádio do meu carro (que não é meu, mas não interessa) pifou, derivado à substituição da bateria, coitada que já não ía para nova. E eu que todas as manhãs ouvia a marginal, e depois a nostalgia, fiquei reduzida ao silêncio ocasional, misturado com o som dos outros carros. Que tristeza.
Tratei de desencantar um mp3 da gaveta, para ouvir uma musiquita, que já se sabe ajuda muito o (bom) humor das pessoas. Claro que só ponho num ouvido, e não muito alto, porque estou a conduzir. E o que ouço eu? Anos 80. Sim, ainda. E sempre.
Lembro-me de ser mais nova, e criticar a minha mãe que adorava ouvir a rádio nostalgia, que só passava beatles e afins. Hoje a rádio nostalgia já não é para a geração da minha mãe, mas para a minha. E isto para dizer que hoje, cantei que nem uma doida isto, isto, isto e isto. E isto, que para mim é a personificação perfeita dos anos 80.
(estas referências são aos anos 80 Pop, faltam os outros anos 80...)

quinta-feira, 22 de março de 2012

home alone

Ontem estive sozinha em casa, e depois de deitar a miúda, pus o meu jantar no tabuleiro e sentei-me confortavelmente no sofá. Noite perfeita para ver uma série de gajas, como a Mildred Pierce, que tenho gravada e a ganhar mofo, ou Downtown Abbey por exemplo. Qual quê. Tive o infortúnio de fazer um zapping e de passar pelo TLC e pimba, ali fiquei. Estava a dar o Toddlers & Tiaras, e só tenho a dizer que não sendo eu uma pessoa violenta, só me apetecia correr aquelas mães todas à chapada, no mínimo.
Assisti atónita a uma cena que me partiu o coração. Uma barbie pequenina de 4 anos não ganhou a super cama de dossel de princesa, nem o título de super rainha poderosa suprema (os títulos dos prémios são absurdos). Ao perceber que não tinha ganho, a miúda começa a chorar. Comportamento normal, digo eu. O que foi menos normal foi a besta da mãe que nunca a abraçou, nem a consolou. Disse-lhe somente que parasse de chorar que estavam ali as câmaras, e que era estúpida por chorar porque a cama de dossel não vale nada, e mais tarde subiu o tom a dizer que já não tinha paciência para a aturar, que parasse com aquela cena. No final, ao ser entrevistada dizia toda contente que o que gostava mesmo era de receber um telefonema de Hollywood, a proporem um contrato de milhões de dólares, para ela poder ir para a boavida e dizer adeus ao emprego como professora.
Tanta coisa a dizer sobre isto não é? ...
Caraças que o jantar mal me passava na garganta.

palavras para quê?

Gostei muito. E o que me fez lembrar o Gene Kelly este filme?
Não sei se terá merecido o óscar ou não, porque não vi os outros (exceptuando Os Descendentes e Hugo, que francamente não gostei). Agora que é um filme bonito é. Muito bom o Jean Dujardin, e o cão também. E acho extraordinário que um filme mudo tenha ganho o óscar de melhor filme.

quarta-feira, 21 de março de 2012

parenting

‘You know the only people who are always sure about the proper way to raise children? Those who’ve never had any.’
Bill Cosby

E um texto giro aqui.

mil sóis resplandecentes

Que maravilha de livro, tanta ternura, tanto amor, tanta tristeza, tanta dor e incompreensão. E tudo isto num cenário de um país atormentado e devastado por sucessivas guerras. Que realidade tão diferente da nossa... e no fundo, tão iguais que nós somos, as mulheres.
Amanhã vou em busca do Menino de Cabul.

segunda-feira, 19 de março de 2012

19. funny


18. a corner of your home

Parece impossível que com tanto livro de cozinha, eu faça sempre as mesmas coisas.

17. green