quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

desapareceu, tomou chá de sumiço

Morreu o Ravi Shankar, um músico brilhante, responsável (entre outros com certeza) pela divulgação da música indiana no ocidente.  E eu tenho pena, a sério, gosto tanto de música indiana. Mas só não percebo porque é que sempre que morre alguém famoso os jornalistas escolhem a palavra "desaparecer". E hoje no carro, a ouvir a nostalgia ouvi a notícia de que o Ravi Shankar tinha desaparecido, e eu a pensar "mas para onde terá ele ido?".
O que não é de todo descabido.

5 comentários:

gralha disse...

Também nunca soube de uma gravidez que tenha sido "interrompida" para depois ter continuidade, e mesmo assim não gostam de chamar-lhe aborto...

triss disse...

Pois...

Mas no caso do "desaparecer", é que nunca me vem à cabeça a morte, e talvez não seja assim tão mau:-)

Julieta disse...

Deu ao mundo a musica indiana e, melhor, a Norah Jones!

triss disse...

É verdade Julieta:-)

Analog Girl disse...

Por acaso nunca me tinha detido sobre essa questão, realmente muito pertinente.
Fiquei mais pasma por descobrir que ele era pai da Norah Jones, desconhecia completamente esse facto! :)