quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

eu não ia dizer nada,

mas li o post da Maria Bê, e pensei, eu podia ter escrito isto. Aliás, hoje até comecei a escrever um post sobre esse tema e pensei naaa, não vale a pena, e apaguei, vou continuar com os posts de cinema e outras merdas. Mas depois, ao ler este post parece que ganhei coragem e fôlego. Para dizer que tenho dias que não aguento, que não sei onde fui parar, não me reconheço mais, tenho saudades de mim. E de relaxar, e de não stressar, e de ir ao cinema, ler um livro ou passar uma tarde fora sem sentir a puta da culpa, ou sem sentir que estou a perder os poucos momentos que tenho livres com a minha filha. E que dizer dos meus amigos que nunca vejo, e de quem nunca me esqueço, e de quem tenho saudades do tamanho do mundo? E a minha família. E namorar? Nem digo nada.
E eu só quero que a minha filha seja feliz e se sinta segura e eu amo-a mais do que tudo, dava a vida por ela sem hesitar, mas pagava para dormir uma noite seguida, profundamente.
E sinto-me sozinha e desanimada, e a rotina tem o peso de um mamute (e eu que até acho a rotina securizante). E a merda do trabalho e o fantasma de ir trabalhar para o cu de judas. E o fantasma da depressão a acenar-me ali da esquina.  uf.

5 comentários:

Melissinha disse...

Respira fundo, Triss. Estamos todas, todinhas, no mesmo barco (mesmo as que juram de pé juntos não estar).

Maria Bê disse...

Triss,
Afinal somos alguns, mas já teria valido a pena escrever o post só porque tu te reviste no meu desconsolo e nas minhas saudades de mim. Eu revejo-me agora na tua sensação de culpa. A tua vontade de dormir lembrou-me o presente de aniversário que pedi ao meu marido quando a miúda tinha um ano e um mês, uma noite de sono sem interrupções (até tomei um comprimido).
Não me lembro da última vez que namorei. Também isso me faz falta, bem como dos "meus amigos que nunca vejo, e de quem nunca me esqueço, e de quem tenho saudades do tamanho do mundo" e da "minha família". Eu podia ter escrito este post...
Um sorriso!

Julieta disse...

Acho que estás na fase mais crítica da maternidade. Eu levo 10 anos disto e disgo-te que melhora! E um dia vais olhar para trás e aquilo que te vais lembrar são as coisas boas ;)

Carla R. disse...

Beijinhos.

Rainha disse...

Mais uma neste clube. E o que mais me custa são as noites em que acordo mil vezes... 22 meses disto e estou a chegar ao ponto de rutura. Ou quase...